Karina Oliani vai escalar o K2, a montanha mais perigosa do mundo.

Karina parte de terminada para mais um grande desafio.

Karina Oliani vai escalar o K2, a montanha mais perigosa do mundo.

A montanhista, médica e aventureira Karina Oliani, já escalou o Monte Everest – a maior montanha do mundo, com 8.848m – duas vezes, tanto pela face sul quanto pela face norte. Para muita gente, chegar no teto do mundo poderia ser o ápice do desafio pessoal e profissional. Mas não para Karina. O Everest, apesar de ser o ponto mais alto do planeta, não é a escalada mais difícil, nem a mais técnica. A montanha conhecida como K2, na cordilheira de Karakoram, no Paquistão, – e a segunda maior do mundo com 8.611m –, é a barreira vertical mais respeitada pela comunidade de escaladores profissionais. O K2, com sua instabilidade climática, quantidade de avalanches e trechos de gelo e rocha extremamente íngremes e expostos, se torna a montanha mais difícil e mortal do mundo. E é para lá que Karina acaba de embarcar, agora em junho, para realizar o maior desafio da sua vida.

Numa expedição minimalista, composta de apenas 3 pessoas, Karina se lança nessa empreitada junto com o amigo e também montanhista profissional, Maximo Kausch – recordista mundial de ascensão em montanhas acima de 6.000m, além do sherpa Lakpa Temba. Ao completar a escalada, Karina será a primeira mulher sul-americana a conquistar tamanho desafio. Apenas um único brasileiro, Waldemar Nicklevikz, conseguiu o feito de pisar no cume do K2 até hoje, depois de três tentativas.
Karina vem se preparando para escaladas como essa, por quase metade da sua vida e já conquistou além do Everest, montanhas como o Aconcágua, Kilimanjaro, Elbrus, Mont Blanc, entre outras menos conhecidas.

Em nível técnico do K2 é o que o torna a montanha mais difícil do mundo e uma das mais letais. Para cada quatro pessoas que alcança o topo, uma morre na tentativa. A escalada, além de exigir muito preparo físico e psicológico, demanda meticuloso planejamento: só a trilha para o campo base – local de onde se inicia a escalada – requer 15 dias de trekking
Desde que começaram as tentativas de se escalar a montanha, em 1904, só 50 anos depois a primeira equipe conseguiu chegar ao cume (em 1954). Ainda hoje, se comparado ao Everest, o K2 é uma montanha muito menos escalada: pouco menos de 200 expedições chegaram ao cume, contra quase 1500 no Everest.

Em sua formação médica Karina se especializou em medicina de altitude e já foi para diversas montanhas como "médica da expedição". Além disso, é atleta multi-esportista com foco em esportes de aventura e outdoor.
A expedição tem o apoio da Volvo, da Pulsar Invest, Outback, John John e Gilette, deve alcançar o cume da montanha no final de julho ou no início de agosto. Tudo será registrado pela equipe com imagens em 4K e terá edição e direção da própria Karina,  para que possa virar um documentário dessa aventura épica.


Visite o site de Karina Oliani:

http://karinaoliani.com.br/

divulgação
16/6/2019
No items found.
voltar para notícias
one world, one life, one great adventure