A coragem e a arrogância

Coragem é nos esquecermos quem somos.
Coragem é nos esquecermos quem somos.
por
Beto Pandiani
24/6/2020

Eu ainda afirmo. Coragem é viver no medo, pois quem opta por este caminho precisa ser corajoso para se abandonar, e levar uma vida refém da auto piedade, da vitimização e do arrependimento.

Todas as vezes que optei pelo caminho do medo, eu me senti sozinho, em dúvida e acabei perdido em um labirinto dentro da minha mente.

Quando decidi fazer as pazes comigo, e romper com o medo, não precisei da coragem. Precisei da honestidade, e da humildade.

O que me prendeu no medo foi a ignorância e minha arrogância em achar que a minha mente programada ou o meu ego, poderiam dentro da minha racionalidade encontrar todas as explicações e argumentos para eu achar que o mundo tinha que mudar.

Este estado de medo me iludiu criando a ideia de que tudo estava errado, e que para eu sair do meu aprisionamento, era preciso que os outros com quem eu me relacionava, tivessem que mudar.

Por isso eu reafirmo. O medo está relacionado a arrogância.

Quando decidi ir para lugares remotos em um barco sem proteção, não foi apenas a coragem que me acompanhou, mas a confiança cega na minha intuição, e no meu aprendizado que eu não poderia construir nada na minha vida se continuasse a permitir que o medo tomasse as minhas decisões.

Coragem é nos esquecermos quem somos. •

SOBRE O AUTOR
O gosto pela aventura corre nas veias de Beto Pandiani. Com mais de 20 anos de experiência em navegação, já desafiou os mais temidos mares do mundo à bordo de um catamarã sem cabine.
TAGS
autoconhecimento, coragem, arrogância, Beto Pandiani, reflexões